Nossa História

Nossa História




O Município de Colméia está localizado na Mesorregião Ocidental do Tocantins e Microrregião de Miracema, com coordenadas geográficas: 08°43?46? de latitude, 48°45?53? de longitude e altitude de 362m, integrando a 6ª Região Administrativa do Estado. Devido à grande necessidade de transportes o Prefeito Municipal de Araguacema, o Sr. Longuinho Vieira Júnior, resolveu construir uma estrada ligando Couto Magalhães a Guaraí. Chegando à localidade denominada Chapada do Marimbondo, edificou um barracão coberto de zinco, onde começou uma pequena loja, deixando o morador José Ribeiro de Souza para cuidar da mesma e disse: 'Aqui iremos formar uma cidade'.


Pelo favorecimento da estrada, foram chegando novos moradores com fins comerciais e sociais. Tendo alguns protestantes já radicados na localidade, acharam por bem dar ao lugarejo o nome de Colméia, isto devido à abundância de abelhas que havia na região e por abrigar migradores de diferentes paragens. Aos poucos foram surgindo mais casas comerciais, igrejas e pequenas indústrias, período este em que foi criado o ex-município de Pequizeiro, tendo como 1º prefeito o Sr. João Bezerra de Souza, em 1965.


Por volta de 1966 já havia na localidade a 1ª escola municipal e desse período para cá o progresso de Colméia foi instantâneo, trazendo as condições mínimas para ser Distrito já em 1968, quando a Câmara de Vereadores de Pequizeiro aprovou a Lei que criava o Distrito de Colméia. Já na condição de Distrito Colméia, com a ajuda do Governo Dr. Otávio Lage de Siqueira, foi construído o 1º Colégio Estadual e também a rodovia existente até os dias atuais, a TO-376. Em 1969 foi eleito o 2º prefeito de Pequizeiro, Sr. Abendigá Máximo Rodrigues, que governou de Janeiro de 1971 a Janeiro de 1973, conseguindo também, realizar algumas obras públicas.


Foram prefeitos: Sr. Celso Lacerda Barros, eleito em 1972, que governou até janeiro de 1976, passando o cargo para Antônio Paulino da Silva, eleito em 1976 com o mandato de 4 anos, tendo sido prorrogado por mais 2 anos, sendo que em seu mandato, e observando o grande desenvolvimento do Distrito de Colméia, resolve, juntamente com Câmara Municipal, transferir a sede do Município de Pequizeiro para Colméia. O Município passa a denominar-se Colméia pelos efeitos da Lei nº 8.809, de 14 de maio de 1980, que efetivou a transferência.


Da elevação à categoria de Município até os dias atuais foram eleitos prefeitos de Pequizeiro e Colméia os seguintes senhores: de 1965 a 1968 - João Bezerra de Souza - Pequizeiro, de 1968 a 1971 - Abendigá Máximo Rodrigues - Pequizeiro, de 1971 a 1976 - Celso Lacerda Barros - Pequizeiro, de 1977 a 1982 - Antonio Paulino da Silva - Pequizeiro/ Colméia, de 1983 a 1988 - Antônio Pesconi, de 1989 a 1992 - Jades Mariano Barbosa.


A festa de Padroeiro, Senhor Bom Jesus, é celebrada anualmente a 6 de agosto, embora não seja ainda sede de Paróquia. A cidade está a 237 Km de Palmas e a 1.087 Km de Brasília.


Para ler mais clique AQUI





Gestão


Prefeito Municipal
Joctã Jose Dos Reis

Prefeito Municipal - Gestão 2021/2024.

Partido: PL (Partido Liberal).



Vice-Prefeito Municipal
Wemerson Mariano B.

Vice - Gestão 2021/2024.

Partido: PSB (Partido Socialista Brasileiro).




Brasão do Município


Brasão do município

Hino Municipal

Colméia sonho imenso de amor e esperança,

de um povo herói em que o crescimento anseia,

que na luta não fugiu da lembrança,

a união e o desfraldar da bandeira.


Resplandece estrelas no céu azul infinito,

resplendor de nossa gente hospitaleira,

promissor fraterno de braços fortes,

filhos desta terra amada sem fronteiras.


Garridos são teus filhos e quem te ama,

criando imenso torrão de grandeza,

em paz teremos expansão no futuro,

nos corações serás sempre a princesa.


Salve linda fé e as mãos que afagam,

um marco cravado em nossa memória,

gente de todas raças e credos,

com carinho partilharam na historia.


Arroz, leite e boi são nosso ouro,

bananas e cristais nas cercanias das cordilheiras,

vigor de abelhas sem férias que colhem mel,

símbolo no azul de nossa bandeira.


Ergue da justiça a igualdade, chave do progresso,

afeto que se encerra nessa glória,

nosso verde sem par de terra fértil,

sua formosura retrata o nosso trabalho

e vitória.


Letra e melodia: Abelor Borges e por Gilmar Silva Chagas e Murilo